AÇORESMADEIRAALENTEJOALGARVEBEIRA INTERIORBEIRA LITORALMINHORIBATEJOESTREMADURATRÁS OS MONTES

  Googl 

Busca Mundial Busca  Portugalweb.net

INDEX

APENDICE:

ALDEIAS

FOTOS

MAPAS

TEMPLÁRIOS

MONUMENTOS NACIONAIS

GLOSSÁRIO

FORTES E FORTALEZAS:

S. João Baptista

S.Neutel

Forte de Crismina

S.Francisco

Forte de Santa Catarina

Fortaleza Ponta da Bandeira

Torre da Medronheira

Fortaleza de Nossa Senhora da Luz

Portugal no mundo:

FORTES E FORTALEZAS

Fortalezas de Portugal

CASTELOS DO MUNDO

BRASIL

 Discover the castles of the Algarve
THE LIBRARY OF IBERIAN

RESOURCES ONLINE

A SOCIETY ORGANIZED FOR WAR
 

  MY CASTLE  WEB RING


pordata

BRASIL500

Casa para férias na Guarda

 

 
 
SETUBAL

A DEFESA DA COSTA E A NOVA ARQUITECTURA MILITAR


As armas de fogo conferindo às embarcações grande poder ofensivo, tornaram ineficazes os sistemas tradicionais de defesa e vigilância da costa.

Os velhos sistemas tinham por base atalaias (de que a torre do Outão é um exemplo) e fachos que se acendiam quando havia perigo.

Em Portugal, a tomada de consciência da ineficácia da defesa marítima, surgiu a partir de 1540 como consequência dos ataques de piratas norte-africanos e corsários franceses.

Em 1549, o rei D. João III (1521 a 1557) convicto da necessidade de defender as barras dos portos e os possíveis pontos de desembarque, instituiu o cargo de "Mestre de obras das fortificações do reino, lugares de além e índias", confiado ao mestre Miguel Arruda que irá projectar o Forte de S. Julião da Barra, na foz do rio Tejo.

Na continuação desta política, concluiu-se em 1572 o projecto de reestruturação e ampliação da Fortaleza de Santiago do Outão na barra do Sado em Setúbal, projecto dirigido por Afonso Álvares. As inovações arquitectónicas incidiram na construção de um baluarte e de uma esplanada onde podiam ser instalados canhões.

Em 1582, Filipe II, já aclamado rei de Portugal, visita Setúbal e terá então encomendado a Filipe Terzi o projecto de uma nova fortaleza (Fortaleza de S. Filipe) para reforço da defesa do porto de Setúbal (Muralhas do Castelo) que complementaria a do Outão.
(JPEG 46K)

Esta fortaleza abaluartada com uma planta em estrela, foi construída num morro sobranceiro à cidade, relativamente distante do rio o que leva a crer que para além da missão expressa de defesa marítima, teria a função de manter uma guarnição fiel e assegurar o controle sobre a cidade, hostil ao domínio castelhano. Na continuidade da estratégia defensiva iniciada no séc. XVI (defesa das barras e dos locais de possível desembarque de piratas), foi mandado construir por Filipe III o Forte da Ilha do Pessegueiro e projectado o Castelo de Sines (que nunca se chegou a concretizar). Ambos os projectos foram da autoria de Alexandre Massai.

A Restauração de 1640 e as Novas Estratégias de Defesa Militar

A 1 de Dezembro de 1640, a nobreza portuguesa aclama D. João IV como novo rei, pondo termo a sessenta anos de domínio dos Habsburgos.

A primazia da defesa, incide agora sobre a fronteira terrestre, com o objectivo de evitar as incursões espanholas no território português. O litoral será guarnecido de baterias, com fins de alerta e defesa restrita, pois enfraquecido o poder da armada espanhola e feita a paz com a Holanda o perigo não viria do mar. Nesta época, surgem então, linhas de defesa nas barras dos rios Douro, Tejo e Sado. A nova estratégia tinha como pressuposto uma defesa dinâmica, construindo-se para o efeito pequenos fortes onde as peças de artilharia instaladas criavam uma linha de fogo contínua e cerrada.

É nesta estratégia defensiva que se enquadra a construção ao longo do século XVII do Forte de Albarquel em Setúbal (1643) que complementaria o poder de fogo da Fortaleza de S. Filipe, as obras de acrescentamento da Fortaleza de Santiago do Outão (1643-1657), a construção do Fortaleza de Santiago de Sesimbra (1648) e dos revelins adossados à muralha em Sesimbra (1648), a construção do Forte de S. Teodósio ou Forte da Ponta do Cavalo em Sesimbra (1652) e finalmente o Forte da Arrábida (1676).


Fortaleza de São Filipe

Fig.1 - Vista geral da Fortaleza de São Filipe em Setúbal

Localização Administrativa:

Esta Fortaleza ergue-se altaneira sobranceira ao mar e que pertence ao Concelho de Setúbal, que se localiza a 41km a Sul de Lisboa, a cidade é banhada pelo Rio Sado a Noroeste e pela Serra da Arrábida. Setúbal é concelho e sede de distrito. 

 História e caracterização do Castelo:

A Fortaleza de São Filipe foi construída em 1582, esta edificação foi encomendada pelo Rei Filipe I de Portugal e II de Espanha. É uma Fortificação moderna para defender a entrada do Rio , com o objectivo de assegurar o controlo sobre a cidade e manter uma guarnição fiel. A verdadeira defesa da barra do Sado estava sobre a alçada da Fortaleza do Outão, edificada por D. João I, sendo em 1890 adaptada a Paço Real. O acesso á Fortaleza é feito por uma porta num dos ângulos das muralhas. No interior das muralhas situava-se as casas do governador e do Corpo da Guarda transformadas entretanto em Pousada.

Estado de Conservação:

O Forte de São Filipe encontra-se em bom estado de conservação, devido ao facto de se encontrar como uma das pousadas de Portugal. 

Caracterização Geral:

Setúbal encontra-se a 20m de altitude na Foz do Rio Sado, na margem direita do Estuário que constitui uma reserva natural com a área de 23 160 hectares, dista 40 km de Lisboa. A zona habitacional é predominantemente plana. Esta cidade está ligada á tradicional actividade pesqueira e com o progresso industrial (indústria do papel e do cimento). 

Fig.2 - Vista da Pousada integrada na Fortaleza de São Filipe

Pousada de São Filipe: morada- Fortaleza de São Filipe 2900- Setúbal    telefone: 265 550070  

Posto de Turismo: (municipal)- telefone:265 534222

Região de Turismo: (Costa Azul)- telefone: 265 539120

Alojamento:

  • Pousada de São Filipe- Fortaleza S. Filipe- 2900 Setúbal   telefone: 265 550070
  • Hotel Bonfim ****- Av. Alexandre Herculano- 2900 Setúbal   telefone: 265 534111
  • Residencial Bocage ****- Rua de S. Cristóvão, nº 14- 2900 Setúbal   telefone: 265 543080
  • Motel Campanile**- Antiga Estrada de Algeruz- 2910 Setúbal  telefone: 265 752672

Festas e Feiras:

  • 25 de Julho- Feira de Sant'Iago.
  • 28 de Junho- Festa do Círio da Arrábida.
  • 15 de Setembro- Festas Bocageanas.
  • Agosto- Festas de Tróia
  • 19 de Abril- Comemoração da elevação de Setúbal a cidade.
  • Feriado Municipal a 15 de Setembro.

Museus e outros locais de interesse:

  • Museu Municipal que contém núcleos de pintura, escultura e ourivesaria, etc. Encontra-se no Convento de Jesus. Museu Oceanográfico.
  • Igreja da Boa Hora, também conhecida como a Igreja dos Grilos, ano de edificação- 1566.
  • Convento de Santa Teresa, matriz da freguesia da Anunciada.
  • Capela de Nossa Senhora da Conceição (século XIV).
  • Igreja de São Julião.
  • Igreja de Santa Maria (ou da Graça, actual Sé).
  • Igreja de Nossa Senhora da Anunciada, ano de edificação- 1553.
  • Igreja de São Domingos, ano de edificação- 1564
  • Igreja de São João.
  • Museu do Trabalho

Gastronomia da Região:

Pratos ligados ao mar peixes e mariscos. Setúbal é conhecido também pela produção do licoroso Moscatel produzido nas vertentes da Serra da Arrábida e pelo queijo de Azeitão. 

Restauração:

  • Restaurante "Quinta da Inveja"- Estrada dos Ciprestes- Quinta da Inveja- 2900 Setúbal   telefone: 265 525977
  • Restaurante "A Restinguinha"- Estrada da Rasca- 2910 Setúbal  telefone: 265 534687
  • Restaurante "Rio Azul"- Rua Palácio Stichini, nº 3- 2900 Setúbal   telefone: 265 522828  

Artesanato: Rendas, barro (ânforas), réplicas de barcos do Sado, bonecos em chapa de ferro.  

Fig.3 - Vista Parcial da Fortaleza de São Filipe

Arquitectura e Arte:

A Fortaleza foi desenhada segundo uma estrela irregular com seis pontas, esta está protegida por um segundo "pano" de muralha cujo espaço é constituído por um fosso, bem como canhoneiras nos ângulos de encontro dos muros. O interior da Fortaleza é constituído por uma larga escadaria que permite o acesso subterrâneo. São visíveis nos terraços que dispõem em cada ângulo, de guaritas de observação. É de salientar a pequena Capela joanina, de planta rectangular revestida a azulejo com temas da vida de São Filipe.

Bibliografia:

- OLIVEIRA, Manuel Alves de, "Guia Turístico de Portugal de A a Z", Circulo de Leitores, 1990

- "Caminho dos Conquistadores, Portugal", Direcção Geral de Turismo

- "Revista Prática Guia Dossier de Turismo Setúbal, nº594, semana de 18 a 24 de Maio de 2001

- Folheto "Setúbal Naturalmente, Setúbal sempre", Câmara Municipal de Setúbal, Divisão de Turismo, 2000

- Folheto da Costa Azul, Portugal, Região de Turismo da Costa Azul

- Folheto Costa Azul, Um Destino, Região de Turismo da Costa Azul

- Revista Roteiros de Portugal, II série, Expresso, "Vilas Históricas, Portos Fluviais", edição nº1146 do Expresso de 15/10/94

- Enciclopédia Portuguesa Brasileira, volume 27, Editorial Enciclopédia Limitada, Lisboa/Rio de Janeiro

- "Guia Expresso das Cidades e Vilas Históricas de Portugal", volume 19, Jornal Expresso

- Folheto "Castelos e Fortalezas da Costa Azul", Região de turismo da Costa Azul, 1993

- Internet: www.costa-azul.rts.pt  / www.mun-setubal.pt   

 

 

 
 

Casa para férias na Guarda

 

Casa para férias na Guarda

 
     CASTELOS NO MUNDO
  

Setubal   Guarda   Almada    Castelos  Seia  Seixal    Sesimbra  Palmela  Arqueologia   Historia        Portugal no mundo

intercâmbio  ttt   Contactos    Publicidade

Copyright © swspt.

 

 


Buy Direct Text Link Ads at Direct-Link-Ads