AÇORESMADEIRAALENTEJOALGARVEBEIRA INTERIORBEIRA LITORALMINHORIBATEJOESTREMADURATRÁS OS MONTES

  Googl 

Busca Mundial Busca  Portugalweb.net

INDEX

APENDICE:

ALDEIAS

FOTOS

MAPAS

TEMPLÁRIOS

MONUMENTOS NACIONAIS

GLOSSÁRIO

FORTES E FORTALEZAS:

S. João Baptista

S.Neutel

Forte de Crismina

S.Francisco

Forte de Santa Catarina

Fortaleza Ponta da Bandeira

Torre da Medronheira

Fortaleza de Nossa Senhora da Luz

Portugal no mundo:

FORTES E FORTALEZAS

Fortalezas de Portugal

CASTELOS DO MUNDO

BRASIL

 Discover the castles of the Algarve
THE LIBRARY OF IBERIAN

RESOURCES ONLINE

A SOCIETY ORGANIZED FOR WAR
 

  MY CASTLE  WEB RING


pordata

BRASIL500

Casa para férias na Guarda

 

 

MARVÃO

Situava-se junto à estrada da rede imperial que ligava Cáceres a Santarém. Não admira por isso que fosse alvo de atenções. Pensa-se que tenha sido por volta dos anos de 1160 que o rei "Conquistador" tomou Marvão, porém não existem documentos que comprovem o feito. D. Sancho atribuiu-lhe carta de foral e foi D.. Dinis que, na sequência dos restauros eféctuados na fronteira, lhe edificou importantes reforços, tornando-o num poderoso ponto de defesa. Tal como Castelo. de Vide, também o Marvão foi palco dos desentendimentos entre D. Dinis e o seu irmão D. Afonso.

 

 

 

 

 

 

 

O Castelo de Marvão situa-se a 843 metros de altitude, num dos pontos mais elevados na Serra de São Mamede, denominado Serra do Sapoio. A Serra é bastante escarpada, constituindo um ponto de defesa natural, com possibilidade de acesso apenas pelo lado Este, onde se desenvolveu a povoação intramuros. Daqui era possível observar a fronteira com o país vizinho e a localidade espanhola de Valencia de Alcántara, por onde se aguardou a entrada dos exércitos inimigos por diversas vezes.

O conjunto, muito bem conservado, resulta no que se chama uma sobreposição de fortalezas, que correspondem a vários períodos de construção bem documentados.

Do tempo da conquista cristã por D. Afonso II (séc. 12) datam poucos troços de muralha, o portal românico da Torre de Menagem, as Portas da Traição e a cisterna pequena. Nos finais do séc. XIII, D. Dinis ordenou que se fizessem obras de melhoramento e reforço, identificadas nas portas de arco quebrado e na cerca urbana. Nos séculos XV e XVI, reforçaram-se as entradas, alterou-se a Torre de Menagem para a estrutura actual e construiu-se a cisterna grande.

Os baluartes da Porta de Rodão, Porta da Vila, do Fortim e da Rua Nova são já construções tardias, do séc. XVII, de uma campanha de obras que teve como objectivo principal reforçar a defesa durante as Guerras da Restauração da Independência entre Portugal e Espanha (1640-68). Nos finais do século, foram alteradas algumas orientações das torres de vigia e modificadas as entradas no recinto do castelo. Construiram-se então o Forno do Assento e as Oficinas da cidadela, já desaparecidas.

Em 1828, construiu-se a Casa da Torre para servir de paiol, mas esta intervenção foi eliminada com as obras de recuperação realizadas pela Direcção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais, em meados do séc. XX.

Actualmente está instalado no castelo um Núcleo Museológico Militar, iniciativa da Câmara Municipal de Marvão.

Para além das particularidades militares, o Castelo de Marvão é sobretudo apreciado pela paisagem envolvente que se avista até longa distância. Por isso, vale a pena percorrer Marvão pelo corredor da muralha terminando na Torre de Menagem, de onde, como diz um ditado popular, "se vêem as costas dos pássaros" quando voam.

 

 

 

Casa para férias na Guarda

 

Casa para férias na Guarda

 
     CASTELOS NO MUNDO
  

Setubal   Guarda   Almada    Castelos  Seia  Seixal    Sesimbra  Palmela  Arqueologia   Historia        Portugal no mundo

intercâmbio  ttt   Contactos    Publicidade

Copyright © swspt.

 

 


Buy Direct Text Link Ads at Direct-Link-Ads